João Paulo aponta dificuldades de comerciários em consequencia de avanços tecnológicos

 
 
Alepe

A situação dos trabalhadores do comércio diante dos desafios da 4ª Revolução Industrial foi o tema do pronunciamento do deputado João Paulo (PCdoB), durante a Reunião Plenária desta terça (22). O parlamentar abordou as principais dificuldades enfrentadas pela categoria, que comemorou o Dia do Comerciário na última segunda (21).

Segundo o comunista, os comerciários já sofrem os efeitos da automação do comércio, em que clientes de várias partes do mundo optam por fazer compras pela internet, sem a necessidade de enfrentar filas e horário restrito de atendimento. “As inovações tecnológicas levam o ambiente digital para o mundo físico, trazendo mais agilidade e comodidade nas vendas, mas também o inevitável desemprego”, lamentou.

O deputado também teme o fechamento de lojas físicas e o crescimento das declarações de falência. “O aumento do trabalho informal também deve crescer, principalmente porque é incentivado pelo Governo Federal, então, o primeiro desafio da categoria é sobreviver”, afirmou em tom de crítica. O parlamentar comentou, ainda, a previsão de consultores em economia e tecnologia de que o risco iminente de desemprego afetaria somente os trabalhadores que não estivessem dispostos a se atualizar e mudar de funções. “Essa transição não será fácil para a população pobre, carente de profissionalização gratuita e que enfrenta a falta de interesse para isso. O comércio cuidará dela?”, indagou. 

Por fim, o deputado pediu que os comerciários sejam tratados com dignidade e respeito, assim como as demais categorias que sofrem com os reflexos dos avanços tecnológicos em suas profissões. “É uma evidência palpável da Revolução 4.0, impactando categorias vulneráveis, como trabalhadores do comércio, além de micro e pequenos empresários”, finalizou.